Cultivo do Café – a origem de tudo

Você sabia que a planta do café chega a ter até 60 espécies distintas?

Sim, mas somente 25 são cultivadas para o consumo. Devido à grande diversidade de latitudes, altitudes e métodos, há uma grande variedade de aromas e sabores com as características de cada região. Se destacam duas espécies: Coffea Arábica e Coffea Robusta. O Brasil é um dos poucos países do mundo a produzir esses dois tipos de café e Minas Gerais é a região responsável por mais da metade da produção de todo o país, principalmente, por conta de suas condições climáticas e do solo – o que chamamos de Terroir.

A elevada altitude e temperatura média anual do sul de Minas Gerais favorece o desenvolvimento da cultura do café na região. O fruto chegou por lá em 1810 e começou a se destacar por volta de 1960. Hoje o estado é o principal produtor, contando com propriedades produtoras de pequeno porte (70%), apesar de algumas das maiores fazendas do Brasil estarem nesta região.

As espécies Coffea Arábica e Coffea Robusta representam quase 100% de todo café comercializado, sendo 70% apenas de café arábica.

Cada tipo de cultivo determina características fundamentais no resultado da bebida, vinda de diversas variedades da planta de café. Ou seja, café realmente não é tudo igual. As espécies Coffea Arábica e Coffea Robusta, são as únicas que possuem relevância no mercado mundial e são cultivadas em grande escala nas diversas regiões cafeeiras do mundo. Elas representam quase 100% de todo café comercializado, sendo 70% apenas de café arábica.

 

Esta espécie de café tem um aroma intenso e um sabor suave e profundo, o que representa melhor qualidade, dando a bebida, maior valor.

A quantidade de cafeína é de apenas 0,8 a 1,3%. As características de cultivo dessa espécie são bem marcantes, desde sua formação: é mais sensível e tem menor porte, necessitando ser cultivada em altitudes elevadas, gerando grãos mais claros e maiores.

Este tipo de café tem um consumo mais apreciado, por trazer um sabor mais completo e refinado, evidenciando doçura e acidez, e ainda um aroma bem marcado e suave, caracterizando-se por ser mais aromática e menos amarga. Assim, permite a produção de um café com uma qualidade fina e requintada, com inúmeras variações de corpo e acidez. As suas variedades principais são o café Moka (Oriente Médio) e o café Bourbon (Brasil).

 

Já o Coffea Robusta possui maior quantidade de cafeína em sua espécie – entre 2 a 2,5% -, apresenta um sabor mais amargo e neutro, pouco adocicado e, portanto, menos aromático.

É considerada uma bebida neutra, bastante utilizada em misturas (blends) e também, para fabricação de café solúvel, resultando em um café de menor qualidade.

De sabor doce e suave, com aromas frutados, encorpados e acidez crítica, o café do sul de Minas é considerado de ótima qualidade e, por isso, Dupier concentra o cultivo e produção de seus blends nesta região.

Agora que você sabe um pouco mais sobre os grãos produzidos, que tal degustar um Dupier?

Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0
café especial e açúcarxicaras de café especial homem