Café e açúcar. Pode ou não pode?

Quando vamos tomar um cafezinho com pão de queijo na casa da vó, a garrafa térmica já vem cheia de café adoçado, não é mesmo?

Nós brasileiros já somos acostumados, desde crianças, a tomar café com açúcar – principalmente, visto que o café para consumo interno no país, antigamente, era o de menor qualidade, mais torrado e mais amargo. Porém, se desejamos degustar os tons mais sutis e todas as nuances de um bom café, o açúcar acaba sendo um grande empecilho.

Um bom café não é preparado do dia para a noite. O processo de plantio, colheita e torrefação leva meses e até mesmo anos. São vários os fatores que são observados para o preparo dos grãos, como o solo no qual os cafeeiros são plantados, o adubo utilizado, o clima, a localização, a colheita, o armazenamento dos frutos, a secagem, a torra etc.

Quando adicionamos açúcar à bebida, escondemos todas as notas e sabores delicados que foram cuidadosamente planejados para serem apreciados. A ideia original daquele café é transformada em outra, bem diferente.

Mas, se seu paladar pede um doce a mais na bebida, é errado colocar açúcar? Não! Mas é interessante conhecer mais sobre todos os processos que mencionamos e também sobre a doçura que já existe no café – sim! Os grãos têm uma doçura própria. Além disso, vale a pena experimentar outras formas de apreciar seu cafezinho.

Café já é doce?

Então, quer dizer que os grãos são naturalmente doces? Apesar de, a princípio, não conseguirmos sentir essa doçura, os grãos têm sim açúcares naturais. O café, antes de mais nada é um fruto e como qualquer outro em seu processo de amadurecimento, ele passa por reações químicas que elevam a concentração dos açúcares naturalmente presentes. Porém, mesmo nos grãos ainda verdes, esses açúcares existem.

Quando é realizada a torrefação dos grãos, esses açúcares são caramelizados e dependendo da torra escolhida pelos especialistas, o resultado será um café mais ou menos doce. Por exemplo, as torras mais claras preservam mais o açúcar natural dos grãos.

Além disso, alguns cafés são misturados com especiarias, castanhas, cacau ou outros adicionais que proporcionam um sabor final diferenciado. Tudo isso pode ser oprimido pelo açúcar extra adicionado à sua xícara.

A libertação do paladar

Fast foods e produtos industrializados são carregados de sabores fortes, incluindo realçadores de sabor, cuja intenção principal é deixar aquele gosto de “quero mais” e incentivar o consumo desses alimentos.

Sendo assim, é normal que o nosso paladar “viciado” em sabores tão explícitos demore um pouco a sentir gostos mais sutis e naturais. Portanto, para libertar seu paladar, lembre-se de que é preciso tempo, atenção e entrega – separe um momento exclusivamente para apreciar seu café (bem como todas as outras bebidas e alimentos) usando todos os seus seis sentidos!

Independentemente da visão do barista, do produtor ou do vendedor do café, você tem total liberdade para experimentar o seu cafezinho da forma que achar melhor – e ninguém tem o direito de deixá-lo constrangido por adicionar açúcar à sua bebida. No entanto, vale a pena testar algumas dicas para sentir novos sabores e ter novas experiências:

  1. Experimente o café antes de colocar açúcar e, se sentir necessidade, vá acrescentando aos poucos e avaliando a quantidade de açúcar que você precisa;
  2. Troque o açúcar branco por açúcar de coco, mel, melado, açúcar mascavo ou outros tipos de adoçantes. Isso irá alterar o sabor do café, porém o doce será mais sutil;
  3. Comece a usar menos (ou nenhum) açúcar em outras bebidas, como sucos e chás;
  4. Evite ou diminua o consumo de bebidas e alimentos industrializados;
  5. Prefira cafés de qualidade;
  6. Aventure-se! Deguste diferentes tipos de café e perceba a diferença entre eles.

Aprecie seu Dupier sem moderação!

Leave a Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

0
café sendo secado em fazendaplantação de café